Caderno Didático de Pesquisa e Tendência (REDE ITEGO)

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Tânia Mara Collyer Pinheiro

Resumo

Caro(a) aluno(a), neste caderno, vamos estudar e compreender a importância da pesquisa de tendências
no segmento da moda, estabelecendo relações entre a pesquisa de moda e o comportamento do consumidor.
São desafios para quem quer trabalhar com esse segmento, seja como empresário ou como profissional
prestador de serviço, fidelizando e conquistando os potenciais consumidores do mercado da moda.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Pinheiro, T. M. (2020). Caderno Didático de Pesquisa e Tendência (REDE ITEGO). Cadernos REDE ITEGO, 1(1). Recuperado de https://www.ead.go.gov.br/cadernos/index.php/CDP/article/view/522
Seção
Cadernos REDE ITEGO

Referências

ANDRADE, Maria; JOFFILY, Ruth. Produção de moda. São Paulo: SENAC, 2012.
CALDAS, D. Tredsetters. Modas e mídias: breve ensaio sobre - A banalização do conceito de tendência na
cultura contemporânea. In: VII Colóquio Brasil - França de Ciências da comunicação e da Informação, p.
3, 2004.
CALDAS, Dario. Observatório de sinais: teoria e prática da pesquisa de tendências. Rio de Janeiro: Senac
Rio, 2004.
CAMPOS, Amanda Queiroz. Prognósticos do porvir: Desenvolvimento de Metodologia Conceitual para Pesquisa
Prospectiva. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Moda com Habilitação em Estilismo)
– Programa de Graduação em Moda, UDESC, Florianópolis.
CARTILHA VISUAL DE LOJA aplicada ao Comércio Varejista, publicação SEBRAE DF, 2014. Disponível em:
http:// www.sebraemercados.com.br/wp-content/uploads/2015/12/CARTILHA-VISUAL-DE-LOJA.pdf.
CECCATO, Patrícia; GOMEZ, Luiz Salomão Ribas. A Pesquisa de Tendências e a Gestão de Marcas de Moda na
Sociedade de Hiperconsumo. In: Estudos de Tendências e Branding de Moda, v. 11, n. 22, 2018.
CIDREIRA, Renata Pitombo. Os sentidos da moda: vestuário, comunicação e cultura. 2. ed. São Paulo: Annablume,
2005.
CIETTA, Enrico. A Revolução Do Fast-Fashion. Estratégias E Modelos Organizativos Para Competir Nas Indústrias
Híbrida. 2. ed. São Paulo: Estação das letras e cores, 2012.
CRANE, Diana. A moda e seu papel social: classe, gênero e identidade das roupas. São Paulo: Editora Senac, 2006.
FLETCHER, Kate; GROSE, Linda. Moda & Sustentabilidade – Design para a Mudança.
Rio de Janeiro: editora Senac, 2012.
GARCIA, Carol; MIRANDA, Ana Paula. Moda é comunicação. São Paulo: Anhembi Morumbi, 2005.
LINDKVIST, Magnus. O guia do caçador de tendências: como identificar as forças invisíveis que moldam os
negócios, a sociedade e a vida. São Paulo: Editora Gente, 2010.
LIPOVETSKY, G. O império do efêmero. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
MEIRELES, Roberto; CASTRO, Guilherme Caldas de; SILVA, Helder Haddad Carneiro da; NUNES, José Mauro
Gonçalves. Pesquisa de Mercado (fgv management). São Paulo: FGV, 2014.
PENN, Mark J. Microtendências, as pequenas forças por trás das grandes mudanças. São Paulo: Editora
Best Seller, 2008.
Referências
PETERMANN, Elisabeth. Archeology of the Future. Reconsidering the place and nature of trend forecasting in design
discourse. Edited by DRS 2014. Umea University of Design, 2014. Disponível em: http://www.drs2014.org/media/
654126/0164-file1.pdf. Acesso em: 09 jun. 2015.
PROENÇA, Graça. História da Arte. 17. ed. Rio de Janeiro: Ática didáticos, 2013.
RASQUILHA, Luiz.Coolhunting e pesquisa de tendências. São Paulo: Actual, 2015.
TREPTOW, Doris. Inventando moda: planejamento de coleção. Rio de Janeiro: Doris Treptow, 2013.
UNDERHILL, Paco. Vamos às compras: a ciência do consumo nos mercados globais. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.
VEJLGAARD, Henrik. Anatomia de uma tendência. Ed.: McGraw-Hill Interamericana de España S.L.; Edição: 1, Espanha,
2012.
VOLPI, Alexandre. A história do consumo no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007